Postagem em destaque

Parto sem dor

Os métodos de PSD prepara-se para sair da mãe da criança. Naquela época, a parteira, que cortou o cordão umbilical imediatamente, a cria...

Mostrando postagens com marcador Família com o bebê. Mostrar todas as postagens
Mostrando postagens com marcador Família com o bebê. Mostrar todas as postagens

domingo, 8 de novembro de 2015

O bebê no útero pode sentir frio


 #ComunicaçãoBaby #Famíliacomobebê #Curiosidade #Gravidez

Durante os nove meses a conexão com nossos bebês são realmente lindas. Eles ouvem a nós, sentimo-nos seus movimentos, e nós podemos aproveitar ao máximo a gravidez. No entanto, ainda temos dúvidas se eles se sentem certas coisas.

Como mães que são muito curiosos para cuidar e conhecer nosso bebê antes do nascimento. Os sentidos são activados para conseguir uma única ligação entre os dois, mas o que acontece aí gera curiosidade. Em iMujer queremos ajudá-lo a responder a perguntas e saiba mais sobre este belo fase espera-se um filho.

O bebê no útero será frio em algum momento? Eu vou te dizer a resposta abaixo ...

Quente e frio

Segundo o site bebês Alot pode sentir frio e calor a partir da 32ª semana de gravidez. Mas não é só começar a sentir a temperatura, também o seu pequeno corpo começa a regular.

Nestas semanas, o cérebro começa a se desenvolver o hipotálamo é responsável por regular a temperatura do nosso corpo. Os bebês desenvolvem a sua sensibilidade no final da gravidez, é por isso que os bebês prematuros são menos sensíveis à temperatura ao longo de sua vida.

Isso afeta o inverno?

Nossa temperatura no interior é relativamente constante como o corpo governante. As mudanças de temperatura no inverno ou no verão não afeta o bebê, porque a nossa barriga sem grandes variações.

A mudanças bruscas se ele vai ser mais fácil de sentir, por exemplo, se você colocar um saco quente ou gelo em sua barriga, ele vai se sentir e você se sentir mais de um pontapé.

Você foi surpreendido com a resposta? Eles se sentem dentro de nossos barriga mais coisas do que imaginamos. Gradualmente, a ciência descobre o que o bebê sente e como ele reage a estímulos diferentes. É realmente incrível!